Tweet about this on TwitterShare on FacebookEmail this to someone

Comunicado ASSOCON

A Associação Nacional da Pecuária Intensiva – ASSOCON, entidade que representa produtores que utilizam sistemas intensivos de produção em gado de corte, recebeu com grande indignação a informação que a Companhia Docas do Estado de São Paulo – CODESP suspendeu as operações com o transporte de cargas vivas no Porto de Santos.

Essa decisão da CODESP ocorreu em atendimento a solicitação do Deputado Federal Ricardo Izar e não contemplou a devida consulta técnica ao setor pecuário.

O Brasil é um importante produtor e exportador de proteína animal e por conta disso segue rígidos protocolos dos países importadores. Esses protocolos incluem temas relacionados ao bem-estar animal na produção, transporte e abate.

O Brasil também produz inúmeros trabalhos sobre o tema bem-estar animal. Citamos aqui os desenvolvimentos pelo Grupo ETCO – Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia e Ecologia Animal, pelo professor e pesquisador Dr. Mateus José Rodrigues Paranhos da Costa, da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV) na UNESP, campus de Jaboticabal.

É importante ressaltar que a iniciativa privada também tem relacionamento constante com a Comissão Técnica Permanente de Bem-estar Animal, no Ministério da Agricultura – MAPA. Um dos trabalhos desenvolvidos entre essa Comissão e membros do setor produtivo foi a Resolução nº 675, de 21/06/2017, que dispõe sobre o transporte de animais de produção ou interesse econômico, esporte, lazer ou exposição.

Como é possível observar, o setor produtivo é extremamente preocupado com o tema bem-estar animal e segue todas as orientações técnicas para promover as liberdades necessárias aos animais de produção. Destacamos também que o Brasil é signatário da OIE – Organização Internacional de Saúde Animal e, por conta disso, aplica as recomendações dessa organização sobre o tema bem-estar animal.

Além dos pontos colocados anteriormente, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o Brasil vem crescendo no mercado de exportação de bovinos vivos. No acumulado de 2017 foram exportadas 306,5 mil cabeças, alta de 35,3% em relação a 2016. Em 2016 o Brasil exportou 163,90 milhões de dólares e em 2017 (até novembro) 209,40 milhões de dólares em bovinos vivos. Os Portos do Estado de São Paulo são extremamente importantes para o escoamento dessa produção.

A Entidade solicita ao governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin por meio de ofício que os próximos embarques de cargas vivas, considerando o cumprimento dos rígidos protocolos relacionados ao bem-estar animal e das regras sanitárias nacionais e internacionais vigentes, sigam normalmente, seja no Porto de Santos ou através do Porto de São Sebastião.

ASSOCON – Associação Nacional da Pecuária Intensiva